É uma técnica de grande importância para a medicina da dor. De maneira resumida, consiste em interromper os impulsos sensitivos que levam a informação de dor ao sistema nervoso central.

Estes procedimentos atuam na memória da dor, dessensibilizando a região afetada, diminuindo ou até mesmo eliminando-a.

Podemos utilizar uma grande variedade de bloqueios dependendo da situação clínica de cada paciente. A maioria destes, tem como alvo regiões específicas de nosso corpo, como os bloqueios de nervo periférico ou outras regiões mais amplas, como bloqueio peridural, facetário e simpático.

Bloqueio diagnóstico

Esta técnica visa inicialmente localizar de maneira mais efetiva a dor e, desta maneira, definir o tratamento mais adequado e preciso.

Bloqueio terapêutico

Usado como forma de tratamento, diminuindo ou eliminando o quadro doloroso, permitindo a reabilitação física e o tratamento multidisciplinar.

Estes bloqueios são sempre realizados com técnicas de imagem.

Podemos utilizar tanto o ultrassom para guiar nossos procedimentos, bem como a radioscopia (RX em tempo real).

Desta maneira os procedimentos ganham mais eficácia e segurança, com controle total da localização.

Podemos usar várias substâncias com objetivos terapêuticos, dependendo da avaliação clínica e do objetivo do tratamento. Podem ser usados: anestésico local, Ácido Hialurônico, anti-inflamatório, Plasma Rico em Plaquetas (PRP), Aspirado e Concentrado da Medula Óssea (BMAC), entre outros.

Bloqueio peridural com corticóide

O bloqueio peridural é uns dos procedimentos mais usados no mundo para o controle da dor. Consiste na injeção de anestésico local, associado a medicação anti-inflamatória no espaço peridural, que se encontra em contato com a parte posterior do disco intervertebral.

É possível utilizar o bloqueio peridural em toda extensão da coluna vertebral, o mais importante é posicionar a agulha o mais perto possível da área de lesão. Podemos utilizar várias técnicas para isso: via sacral, interlaminar ou foraminal, sempre guiados por imagem de RX e confirmado com injeção de contraste antes do medicamento.

O bloqueio é realizado de maneira ambulatorial e o paciente retorna para casa algumas horas depois. Este procedimento apresenta um efeito imediato no alívio da dor, podendo ter um efeito mais prolongado a médio prazo.

O bloqueio não costuma apresentar efeito por longo tempo, porém o suficiente para um tratamento multidisciplinar, com reabilitação física e funcional do paciente.

De acordo com o guia de recomendações para técnicas intervencionistas da dor, publicado pela ASIPP (Associação Americana de médicos Intervencionistas da Dor), as evidências do bloqueio peridural para hérnia de disco e dor radicular, tanto cervical quanto lombar, são consideradas boas.

Bloqueios facetários

As facetas articulares são pequenas articulações que conectam a parte posterior da coluna vertebral. Sua principal função é dar estabilidade é a estabilidade da coluna.

A articulação facetaria pode sofrer processo inflamatório e degenerativo causando dor e desconforto. O diagnóstico é feito por um exame clínico minucioso, podendo ser auxiliado por exames de imagem. Entretanto, o bloqueio diagnóstico é essencial para sua confirmação. Utilizamos anestésico local nas articulações suspeitas e confirmamos sua participação no quadro doloroso.

O tratamento pode ser realizado com técnicas intervencionistas minimamente invasivas, utilizando bloqueios facetários com anti-inflamatórios, ácido hialurônico, medicina regenerativa e radiofrequência, dependendo do caso a ser tratado.

Bloqueio da Articulação Sacroilíaca

A articulação sacroilíaca é uma grande articulação localizada ente sacro e o ilíaco (osso da bacia), sendo responsável pela ligação da parte inferior da coluna vertebral com a pelve. O comprometimento desta estrutura é causa comum de dor lombar crônica, e deve sempre ser pesquisada.

A dor é localizada na maioria das vezes na região glútea, mas também é frequente ocorrer na região lombar baixa. Em alguns casos pode se estender para virilha e membros inferiores.

O diagnóstico é feito pelo exame clínico e pode ser auxiliado por exames complementares, mas o diagnóstico deve ser confirmado por um bloqueio diagnóstico.

O bloqueio teste é realizado colocando anestésico local na articulação suspeita, confirmando assim o diagnóstico. Este procedimento deve ser sempre realizado guiado por imagem (ultrassom ou radioscopia) para garantir um resultado fidedigno.

O tratamento para dor sacro ilíaca inclui o uso de medicamentos, terapia física especializada, acupuntura. Os procedimentos intervencionistas, tem um papel importante, podendo usar infiltrações articulares com anestésicos, anti-inflamatórios, ácido hialurônico e medicina regenerativa e em alguns casos a denervação desta articulação.